Set 13

DIETA DO ARROZ INTEGRAL – UMA FORMA DE LIMPAR O CORPO

Por vezes o nosso corpo necessita de ajuda para se limpar, a forma como nos alimentamos pode ajudar.

Muitas são as questões  que me colocam acerca da dieta do arroz, pelo que decidi escrever sobre o assunto.

A dieta do arroz integral, ou dieta n°7, como é conhecida no meio macrobiótico, consiste em consumir unicamente cereais integrais durante 10 dias, o tempo necessário que necessitamos para uma renovação do plasma sanguíneo. Podemos comer outros cereais em vez do arroz integral, como a cevada, aveia, millet, trigo sarraceno, mas o arroz integral tem o poder particular de limpar a fundo os nossos tecidos – é o cereal do intestino grosso e dos pulmões.

Apesar da dieta original demorar 10 dias, muitas vezes recomendo 3 a 5 dias de arroz e os restantes dias de reajuste alimentar lento.

Como fazer?

O cereal (arroz integral) deve ser cozinhado em água com um pouco de sal marinho integral, e nada mais. A proporção que eu mais gosto é uma chávena de arroz, duas de água e assim que começa a ferver reduzo o lume para o mínimo e tapo. Demora cerca de 40 minutos a cozinhar, pelo que podes cozinhar quantidade suficiente para todo o dia.

Uma das perguntas frequentes acerca do arroz é se este deve ser demolhado ou não. Sim deve se demolhado, pois desta forma eliminas quase na totalidade o ácido fítico, contudo se te esqueceste de demolhar faz arroz integral na mesma. Faz pior ao teu corpo comer arroz branco, do que ingerir um pouco de arroz integral que não foi demolhado. Caso isso aconteça coloca uma tira de alga Kombu na cozedura, para compensar um pouco os minerais que vais perder por causa da ingestão do ácido fítico.

Usa pouco sal porque pode produzir demasiada sede. Não uses nenhuma gordura (óleo, azeite), temperos, ervas, especiarias, etc.

A dieta do arroz integral além de provocar uma limpeza profunda do organismo, ajudando a eliminar toxinas que sempre acumulamos, é como um retiro espiritual, um jejum para os sentidos.

Uma das regras de ouro a praticar é a de mastigar muito bem cada porção de comida (o ideal entre 50 a 100 vezes). O mastigar além de pré digerir adequadamente o alimento, estimula a glândula pituitária, ajudando o processo global do “jejum”.

Os primeiros dias são os mais difíceis, o 2º e o 3º em particular, pois tal como no jejum parece sempre que falta algo. Pode ocorrer até alguma irritação, sinal de que o fígado está a limpar também. Ao 4º dia começamos a sentir-nos leves e a partir do 5º dia o pensamento é mais claro e lúcido.

Em cada refeição é aconselhável: 1 tigela de arroz integral, do tamanho que vos for confortável – ou outro cereal integral – e 1 taça de chá. Mastiga o mais que puderes, em silêncio se possível, concentrado no que estás fazer. Aproveita este momento como um momento meditativo, com atenção plena.

Podes fazer o número de refeições que te for confortável, sempre com o mesmo cardápio (arroz integral).

Como retornar à dieta habitual?

O retorno à nossa dieta habitual deve ser gradual para não perdermos os benefícios obtidos . Seja qual for o número de dias de dieta de arroz 3, 5, 7 ou 10 devem sempre fazer 3 a 4 dias de reajustes da seguinte forma:

  • 1º dia reajuste: cereal integral + sopa de miso + vegetais no vapor
  • 2º dia: o mesmo do1º dia + fruta cozida
  • 3º dia: o mesmo 2° dia de reajuste e acrescentar uma porção proteína (de preferência vegetal) e temperos.
  • 4º dia: o mesmo 3° dia de reajuste, podendo até começar a ter mais variedade no prato.

Lembra-te que este tipo de dieta é para fazer durante um tempo limitado. Pois é usado para induzir um processo de limpeza no organismo. Não deve ser usado no dia-a-dia pois não possui todos os nutrientes necessários para uma vida e saúde equilibradas. Pode ser comparada a um jejum. Não irias fazer um jejum todos os dias da tua vida pois não?

Estas limpezas acompanhadas de uma alimentação consciente e natural são o segredo para uma vida saudável e vibrante.

Espero que tenha esclarecido.

Atreve-te a ser diferente.

Vive consciente!

Daniela Ricardo