Set 27

VIAJAR SOZINHO – DICAS E BENEFÍCIOS

Sou um viajante do mundo. Adoro viajar, conhecer novos locais e novas culturas.

Defendo que as viagens têm o condão de fazer sobressair a doçura e os dotes que existem em nós. Hoje, o tema é viajar sozinho e os seus benefícios.

Actualmente, quase todas as pessoas têm vidas muito preenchidas, nas suas responsabilidades e estão cada vez mais envolvidos com o trabalho e afazeres. O cansaço do dia-a-dia é algo quase inevitável, logo, na minha humilde opinião, viajar é preciso.

É normal que o cansaço quando se instala, a primeira coisa que nos assalta a mente, na hora de planear férias, seja viajar. Todos adoram viajar! Esta é uma prática que, definitivamente, faz bem ao corpo e á alma. Mas, quase sempre, seja por medo ou por receio, acabamos sempre a viajar acompanhados por familiares ou amigos.

Mas porque não viajar sozinhos?

Podemos viajar sozinhos de várias formas. Podemos viajar sozinhos integrados num grupo, no qual não conhecemos ninguém. Podemos viajar mesmo sozinhos de mochila às costas ou de mala na mão. Ambos formatos são geniais.

Viajar sozinho pode proporcionar vivências incríveis e diferenciadas. Mas, é importante preparar bem a viagem, nunca esquecer algumas práticas importantes e preciosas para que tudo corra com segurança e garantir que as experiências serão maravilhosas.

A ideia de viajar sozinho, para quem nunca passou pela experiência, pode parecer um pouco intimidante ao princípio. Muitos, têm essa vontade, mas não o fazem por medo do que possa acontecer, por se aventurarem sozinhos e saírem da sua zona de conforto. A experiência de viajar sozinho(a), além de engrandecedora, garante diversos benefícios para nossa vida.

Posso dizer que inicialmente existe esse receio, mas que ele tende a transformar-se em empoderamento e independência. Começamos a sentir segurança e rapidamente esse sentimento toma uma proporção indescritível.

A independência ganha força com o tempo quando resolvemos começar a partir sem depender de alguém que supostamente estaria ali para transmitir mais segurança. Ganha-se liberdade em todas as áreas das nossas vidas. Primeiro estranha-se, depois entranha-se. Começa-se a ter o desejo de explorar novos ambientes sem precisar de alguém que nos acompanhe. Quando isso acontece estamos a viver a realidade da independência.

O ideal seria que todos conseguissem viajar sozinhos ao menos uma vez na vida. Porquê? Alguns motivos simples e convincentes são:

Auto-confiança

Ao viajar sozinho lida-se com desafios muitas vezes inesperados. Normalmente, todos são ultrapassados facilmente através das nossas próprias decisões. A confiança diante das situações aumenta.

Liberdade e flexibilidade

Viajar sozinho permite organizar o horário da forma que se quiser. Planear visitas sem necessidade da aprovação dos outros. Temos a possibilidade de escolher o que se quer conhecer e quando. Somos livres.

Exemplo típico? Não precisas esperar qualquer tempo para sair porque alguém ainda está a acabar de se arranjar ou a acabar outras coisas. Aqui o tempo é sempre todo teu.

É simples. Podes comer o que queres sem a necessidade de “porquê” ou sem perguntar se ou outro concorda. A liberdade de escolha e a flexibilidade é uma das maiores vantagens de se viajar sozinho.

Novas amizades

Quando viajamos com amigos, dificilmente estamos abertos a conhecer novas pessoas. É um círculo fechado. Quando viajamos sozinhos estamos abertos a falar e conversar com outras pessoas. Conhecer e fazer novos amigos.

Percepção que não estamos sozinhos

Viajar sozinho não é achar que vamos enfrentar a solidão, mas o contrário. Vamos encher o nosso ser de novas experiências e amizades. Estamos abertos a conhecer outros viajantes, pessoas locais, enfim a fazer novas amizade em viagem e enriquecer a nossa vida.

Vencer medos

Quando viajamos sozinhos, além de ganharmos confiança interior, ultrapassamos muitos dos nossos medos. À medida que nos aventuramos a conhecer novos locais, os medos são substituídos por uma sensação de conquista. Isso aumenta a confiança e vence medos.

Auto-conhecimento

Viajar sozinho é também viajar ao encontro da própria alma. Quando viajamos sozinhos lidamos com o que somos verdadeiramente. Tomamos decisões reais na nossa essência, conhecemos os nossos verdadeiros gostos e atitudes.

Viajar sozinho, sem ser sozinho num grupo de desconhecidos, requer alguma preparação. Existem alguns cuidados a ter antes da aventura, que passo a enumerar:

 

1.Escolher o destino

Devemos sentir dentro de nós o destino que nos queremos oferecer. Depois dessa escolha, devemos saber quais as opções que cada destino nos pode oferecer.

Se o intuito for experiência cultural, alguns países da Europa são uma boa opção, como Londres, Barcelona, Berlim, Paris, Amsterdão, … Apesar de serem cidades grandes, a mobilidade é muito simples e em todas se fala inglês.

O mais importante é a escolha do destino. É primordial traçar os objectivos e escolher o destino.

  1. Planear detalhes com antecedência

Depois de decidido o destino, alguns detalhes podem, e devem ser planeados. Como em qualquer viagem, se a intenção é economizar, as passagens aéreas devem ser compradas com antecedência para se conseguir melhores preços. O mesmo se aplica para reservas de hotéis.

Uma dica importante é saber se a época desejada para a viagem é época alta, ou não. Caso seja, pode ser necessário que ter ainda de planear tudo ainda com mais antecedência.

  1. Documentos

Verifique com antecedência quais são os documentos necessários para o destino escolhido, como passaporte e visto. É importante andar com os documentos para evitar possíveis confusões por estar sem eles, principalmente em destinos internacionais. Uma cópia autenticada para possíveis casos de perda ou furto é uma boa dica e uma segurança.

  1. Escolher uma estadia segura

Uma óptima forma de saber se o hotel é confiável, é ler relatos de pessoas que estiveram lá recentemente. Explorar e estar atento. Muitas das vezes ficamos com uma noção de como será a experiência naquele local.

  1. Fazer amigos locais

Mesmo os destinos mais conhecidos possuem opções que somente pessoas locais conhecem, e que nos permitem aproveitar a viagem de uma forma diferente. Ter indicações de gentes locais é como teres um guia turístico que entende tudo sobre aquele local.

Couch Surfing é um dos sites que oferece essa possibilidade de te hospedares na casa de pessoas locais. Geralmente esse e outros sites semelhantes possuem opções de avaliação de quem já teve essa experiência, e nos dá segurança para fazer o mesmo.

  1. Saber o idioma local

Se o destino for fora do país, é importante dominar, pelo menos, o básico do idioma local, ou da segunda língua que têm para poderes comunicar.

  1. Para não te sentires sozinho.

Viajar sozinho não é necessariamente sinónimo de passar toda a viagem sozinha. A experiência da entrega permite que se conheça pessoas de diferentes locais e culturas. Muitas vezes surpreendemo-nos porque encontramos muitas pessoas que estão a fazer o mesmo que nós.

  1. Telefones úteis

Ter alguns telefones úteis como da embaixada Portuguesa naquele local ou da polícia turística, em casos de viagens internacionais, podem ser uma mais valia. Não devemos hesitar em contactá-los em caso de dificuldades. É útil também ter anotado o telefone de onde se está hospedado.

  1. Gerir o dinheiro

É preciso lembrar que estamos a viajar sozinhos, logo é necessário planear bem quanto dinheiro vamos precisar. Leva dinheiro físico contigo e mantém sempre uma parte de reserva. Nem em todos os lugares é possível utilizar cartões e encontrar um banco 24h pode ser uma tarefa árdua. Em casos de viagens internacionais ainda se sente mais.

Verifique qual é a moeda local do destino em questão e faça o câmbio. Existe também a opção de adquirir cartões pré-pagos para alguma eventualidade.

  1. Viajar leve

Fazer a mala pode ser difícil. Ter que deixar algumas coisas de lado pode parecer desesperador, mas é importante ser objectivo e levar apenas o que é útil. É importante lembrar que quanto mais coisas levarmos, mais difícil será transportá-las. Esta dica é especialmente importante para o caso de viagens com mochila, quanto mais leve a mala, mais prático e fácil será o transporte.

Sempre a fluir e a sorrir!

Luís Baião